Quando se fala na pandemia de covid 19 logo vem à mente os números alarmantes e as imagens chocantes feitas pelo Brasil e divulgados pela mídia noite e dia.

Em média mais de 1.000 pessoas estão morrendo a cada dia, e o país já está a caminho de um milhão de casos da doença, não temos  previsão para acabar com a crise tão cedo.

As políticas de controle por parte das três esferas de governo surtem efeitos a medida em que são tratadas de forma responsável e com política séria no gerenciamento, mas  falta sintonia nessa questão.

Completamos 30 dias sem termos um ministro da saúde ocupando a pasta de forma definitiva e não interina, isso prejudica ainda mais o diálogo entre prefeitos e governadores com o governo federal, coisa que já estava ocorrendo de março para cá.

Outro fato que deve estar presente na fiscalização do cidadão, é ficar de olho nas notícias sobre os desvios de verbas e os casos de corrupção na área da saúde, ainda mais nesses casos onde se dispensam vários protocolos de controle liberação de verbas, e o dinheiro que deveria i ir para o controle da pandemia acaba indo para o o ralo da corrupção.

Um caso que chamou atenção nessa última semana foi a denúncia do jornalista Rubem Berta, que denunciou em seu blog o desvio de  quatro milhões e meio de uma OS, organização social responsável por diversas UPAS em São Gonçalo no Rio de Janeiro, garna que foi  para um advogado que é réu no caso de improbidade administrativa.

Esse é só um caso, porque na verdade os que chegam ao nosso conhecimento são mínimos,  as investigações por parte das autoridades demoram, ou às vezes nem chegam ao conhecimento da mídia ou da população.

É  importante cobrar e ficar atento aos portais de transparência dos órgãos governamentais e ao noticiário para não deixar cair no esquecimento na hora em que tivermos de cobrar das autoridades. Fiscalizar as ações sobre o controle da pandemia é importante e vital, mas não para esquecer o fator que mais impera na política: temos um controle ilusório sobre as verbas desviados E acabamos elegendo os mesmos representantes e sempre

Dr Wagner Sabino é Diretor Clinico do PA ALTO MARACANÃ

Deixe uma resposta