A escolha do deputado Fábio Faria do PSD do Rio Grande do Norte , genro de Sílvio Santos , para ocupar o Ministério das Comunicações é mais que uma generosidade com o velho empresário de comunicações , embora isso , claro , esteja no ”pacote” , tanto que a Secretaria de Comunicação da Presidência (sem qualquer razão técnica para isso) tenha sido anexada à pasta.

É óbvio que a ”máquina” do SBT vai ser escandalosamente colocada a serviço de Jair Bolsonaro e isso foi admitido , sem qualquer cerimônia , pelo próprio presidente da República.

Mas há outra finalidade na escolha do genro , além desta.

Fábio é de família política (é filho do ex-governador Robinson Faria) e hábil em costurar apoios parlamentares , o que levou a eleger-se 2° vice-presidente da Câmara dos Deputados.

É mais um sinal de que Jair Bolsonaro considera certo que , mais cedo ou muito mais cedo ainda , um pedido de impeachment ou uma denúncia criminal irá a exame dos parlamentares e de que ele precisa mais do que apenas um terço dos votos para livrar-se disso sem tornar-se ainda mais fraco. Fraco até mesmo para um golpe.

Jair Bolsonaro entrou em ”modo sobrevivência” e que ninguém se espante com o quanto ainda descerá ao fisiologismo , possivelmente com a manutenção e a ampliação das concessões de rádio e televisão , até pouco tempo uma das ”melhores vitrines” que se poderia servir a políticos.

Esperem e verão.

Leandro Scala é historiador e ativista politico

Fonte: https://www.facebook.com/scala.leandro?epa=SEARCH_BOX

Deixe uma resposta