Acompanho a Câmara de Vereadores de Colombo desde de 1979, quando o Legislativo ainda era instalado onde hoje está a Casa da Cultura. As sessões eram as terças-feiras, no horário noturno, não havia público, como não há hoje, e somente uma secretária para atender os nove edis.

Mas o assunto é outro agora, essa  mesma Câmara em 1981 ganhou uma sede nova, e mais alguns funcionários, na verdade mais 3.

De 79 até hoje, não vou vacilar em afirmar, essa legislatura de 2017/2021, é a pior de todas, a mais mediocre em todos os sentidos, e mais subserviente aos mandos do executivo, como nenhuma outra.

A base aliada de Beti Pavin dançou e bailou na cara do povo com seus acertos e em nenhum compromisso com a função de vereador, dos que se salvaram, dá para citar Élcio do Aviário e Thiago de Jesus, e pela oposição, somente o bom e sensato Anderson Prego.

A renovação para 2021/2-2024 se faz urgente e necessária, até porque se não se renovar na essência, vamos ter o risco de ter velhas raposas voltando, mas mesmo essas figuras são melhores daquilo que aí está.

Em 2016 tinhamos quatro vereadores de oposição: Alan Tattoo, Feitosa, Michele “Gleisi” Mocelin e Anderson Prego, hoje temos um

Deixe uma resposta