A maior novidade dos últimos dias sobre o processo eleitoral de Colombo foi o rompimento da ex-secretária de Habitação e Urbanismo e Presidente do PSB local, Tânia Tosin, com a prefeita Beti Pavin. As duas sairam atirando,e esse foi o fato que mais chamou a atenção.

Com passar dos dias porém, muita coisa veio á tona, até porque é notório que o PSB Estadual é comandado por Severino Araújo, um dos mais fervorosos apoiadores de Beto Richa, e o Deputado Estadual Luiz Claudio Romanelli, o representante de Colombo na ALEP, e amigo de longa data de Beti Pavin, ainda tem Luciano Ducci, um dos deputados federais que tem a simpatia da prefeita…É bom lembrar que em  2016 a prefeita e seu grupo tiraram á francesa, o então candidato, Plinio Schmidt (MDB) e  Cicero Alves (PMN) da disputa majoritária, agora ela pode ter feito o contrário, colocar Tânia como aliada á paisana para ajudar Sérgio Pinheiro

A engenheira Tânia Tosin teve sua pré-candidatura cogitada em 2018, e de lá para cá sempre relutou em se posicionar. O fato marca como tudo está bem confuso, ou estava, até que uma postagem no blog de Wilson Vieira deixou a situação um pouco mais clara, o jornalista que é Relações Públicas Prefeitura asseverou: “Neste momento Tânia Tosin e Sérgio Pinheiro seriam os nomes mais qualificados para disputar as eleições do 8° maior município do Paraná!”  Wilson apóia Sérgio Pinheiro…Leia >https://www.wilsonvieira.net.br/2019/11/tania-tosin-pode-ser-candidata-prefeita.html

Em janeiro teve a Jornada das Mulheres Socialistas promovida pelo PSB, em Curitiba, o partido através de Romanelli pontuou a importância das mulheres disputarem o pleito. O X da questão é o fato da inércia de Beti Pavin em não interferir no processo, como sempre fez em todos os casos envolvendo articulação politica, e a  pré-candidatura da ex-secretária vem para tirar votos de Sérgio Pinheiro, seu vice-prefeito e pré-candidato a prefeito, Beti Pavin deixou passar em branco?

O pré-candidato Hélder Lazarotto (PSD) é da Sede de Colombo, e com entrada de Tãnia Tosin no processo ( ele é primo dela) seu potencial de votos nessa região cai, ou seja: pode ter sido mais um plano da prefeita para favorecer Sérgio Pinheiro, como foi com Thiago de Jesus.

É bom lembrar, que o PSB, sempre que Beti Pavin precisou esteve a reboque da prefeita.

Outro fator a ser colocado na mesa:por que a TÂNIA TOSIN só saiu em cima do prazo de desincompatibilização partidária da secretaria, uma vez que a “briga” com  a prefeita vem de longe?

A prefeita Beti Pavin e seu grupo já tem no minimo três planos para dividir a oposição, esse pode ser mais um.  Em todos os pleitos Beti Pavin se impôs sobre seus adversários e até em 1996, quando nem precisava do apoio do PDT de Jaime Lerner, ela tirou o partido da disputa.

Que tudo isso está muito estranho, não dá para negar, mas muita coisa ainda está por vir nesse jogo. Tânia Tosin pode ter as melhores das intenções e Beti Pavin ter aceitado o rompimento de forma a permitir mais gente na briga para dividir a oposição, só que no momento ela está dividindo a situação, com 30% ou 35% o Diretor da Funeas leva a eleição, até porque ninguém vai fazer mais que isso com tantos candidatos no páreo. Em 2016 tivemos 81% de votos válidos, a tendência este ano é menor, o número de candidatos será maior. A polarização ou no máximo tres pré-candidatos favorecia um equilibrio maior.

 

COMPARTILHAR
Artigo anterior100% Hélder Lazarotto?
Próximo artigoBafafá Politico

Deixe uma resposta