Durante essa semana,A CÂMARA DE VEREADORES DE COLOMBO promoveu através de Projeto de Lei DO ANO DE 2018, a contratação  de alguns cargos ( dizem que são 8) em Comissão, cujo o salário deve ultrapassar o valor de $6.000,00. Nada mal…

A votação do PL ocorreu na última sessão ordinária do legislativo, os votos a favor da contratação dos comissionados, (segundo informações, a maioria irá servir a mesa diretora) vieram dos seguintes edis: Edson Baggio, Marquinhos Berlesi, Issa, Doliria Strapasson, Élcio do Aviário, Eurico Dino, Gil Gera, Thiago de Jesus, Pastor Jerçon,Marcos Dumonte e Vardão. Na ocasião foi votado e aprovado o congelamento dos cargos de prefeito, vice-prefeito, vereadores e secretários municipais.

Votaram contra: Anderson Prego , Pelé, Ângelo Betinardi e Lunardon (a confirmar, pois há informação de que esteve ausente), o Presidente da Casa , Wagner Brandão não vota nesses casos, só em caso de empate.

Hoje, o Legislativo possui 45 cargos técnicos ( escolhidos via concurso), com salário a partir de  R$1,500,00, havia seis vagas em vacância, que foram foram preenchidas de acordo com a lei.

A contratação de cargos em Comissão foi uma decisão, pelo menos é o que se presume, dos vereadores da base com a anuência dos caciques da Casa. E é aí que mora a farra com o dinheiro público, em tempos de eleição, não era para ser diferente.

Se cada vereador têm direito a um cargo em comissão e a um cargo técnico, há razão para a contratação de mais gente? Fica a indagação e a indignação.

A Câmara possui hoje um contingente de servidores muito maior do que precisa, tá faltando espaço para os servidores respirar, mas a teta é grande, e os interesses politicos bem maiores.

Para atender 17 edis, em 1997, primeiro ano do mandato do governo Beti Pavin, o número funcionários não chegava a 12. Com a contratação desses novos cargos comissionados esse número aumenta significativamente

A aprovação dos vereadores de Colombo é uma das mais baixas da história, com esse “golpe” acabaram de dar mais um tiro no pé, talvez, o de misericórdia…

Em tempo: A Sessão votou a contratação do cargo de Ouvidor Geral.

Deixe uma resposta