O governador Ratinho Junior está terminando o seu primeiro ano de mandato com uma avaliação pra lá de positiva, em Colombo seu percentual deve estar beirando aos 65% de aprovação, quase o mesmo indice que alcançou, na sua eleição, ainda no 1º turno, em 2018.

A oposição que deveria estar enfrentando dentro do municipio, em razão da derrota do grupo de Cida Borghetti, na eleição passada, não ocorre, o governador mandou mais recursos para o municipio do que se imaginava, Beti Pavin sorri de orelha a orelha.

Já os coordenadores de campanha, do tal do grupo 100%, liderados por Hélder Lazarotto, pré-candidato a prefeito, deram um jeito de  abrigar vários amigos em orgãos do Estado, a mamata só escancarou o jogo dessa ala de apoio ao governador, não tem almoço grátis.

Por outro lado, a prefeita Beti Pavin, que já mamou em diversas tetas, é experiente, sabe que dentro desse jogo o importante é estar com o governador, foi assim com  Requião, com Lerner, com Beto Richa, ela não tem capacidade de trabalhar sozinha.

Como pré-candidato a prefeito, que diz ser, Hélder Lazaroto, o mestre de cerimônias de suas reuniões de campanha, uma vez que não têm voz para desenvolver uma palavra de contraposição à prefeita, deixando os discursos para Alcione Giaretton e Onéias Ribeioro, bem mais incisivos e donos da voz da “porra toda”, mostra que a prefeita e seu pré-candidato dominam o processo, enquanto Ratinho Junior ainda não visitou o municipio para posar ao lado do seu suposto pré-candidato, e que tá estrando, ah, isso tá!

Ao longo desses quase um ano, Beti Pavin fez  seu jogo preferido:conspirar nos bastidores, e deixar Sérgio Pinheiro, o pré-candidato da máquina na condição de favorito ao pleito de 2020, e a compra de apoios corre solta, a perseguição com ex-aliados também…(tá dado o recado)

Como existe a possibilidade de um grande acordo municipal para 2020, e essa palavra (acordo) mexe sedutoramente com Hélder e Onéias, é bem possivel que a ausência do governador em Colombo seja para não atrapalhar a jogada, que possivelmente esteja sendo articulada pelo Deputado Estadual, Luiz Claudio Romanelli e o Presidente da ALEP, Ademar Traiano.

A armação é simples de entender: Hélder Lazarotto sairia de cena a pedido do governador e deixaria Alcione Giartetton em seu lugar, e com a manipulação de Onéias Ribeiro, disputariam e eleição para não dar muito na cara. O governador para não queimar o filme, não entraria em Colombo. Simples assim, basta Beti Pavin dar a senha, até por isso tiraram o vereador Anderson Prego do processo, e o PT também, um perigo a menos.

Diante de tudo isso, não é sem razão que Thiago de Jesus é o grande perigo para Sérgio Pinheiro, é o louco no meio da desordem, os colombenses estão dispostos a qualquer coisa para derrubar essas duas correntes envelhecidas da politica, até por um “insano” no poder.

Deixe uma resposta