A promessa do governador Ratinho Junior de construir um Hospital Regional para a área norte de região metropolitana de Curitiba, e com sede em Colombo, proposta essa que está se tornando o mote de campanha de dois pré-candidatos a prefeito em 2020, não irá resolver muita coisa para amenizar os graves problemas que o setor enfrenta, até porque o investimento é alto, e uma unidade hospitalar exige uma infra-estrutura das maiores e não vai resolver o nosso maior entrave na gestão de saúde que se encontra na atenção à saúde primária, e an carência de profissionais, além de precisar  de um novo planejamento para atender a demanda na ponta do sistema.

O ideal seria que a Santa de Colombo fosse reativada, e com ela, e mais a UPA DO ALTO MARACANÃ aliada ao Centro de Especialidades a ser aberto em setembro é possível dar um avanço e melhorar a precariedade do atendimento existente na atualidade. Também não será eficaz se a UPA do ALTO MARACANÃ ter cinco médicos no plantão, (aconteceu dias atrás)  quando o limite estabelecido por lei é de oito, será mais do mesmo.

As promessas mirabolantes de pré-campanha que mais servem  para animar o fã-clube dos pré- candidatos de oposição não passam de meras fantasias para embalar os desejos dos incautos, e basta ver com quem eles estavam nos governo passado, com Beto Richa, o ex-governador responsável pela pior gestão de saúde do Estado nos últimos anos, basta dar uma olhada nessa matéria do portal BRASIL DE FATO.

“Em quase oito anos de gestão, o governador Beto Richa construiu apenas um hospital – em Guarapuava. Na última segunda-feira (2), ele re-inaugurou o hospital de Telêmaco Borba, na região dos Campos Gerais. ” Leia mais no link ao lado>>>https://www.brasildefato.com.br/2018/04/06/com-promessas-nao-cumpridas-saude-publica-do-parana-esta-doente/

Deixe uma resposta