247 – O jornalista Kennedy Alencar fez uma análise sobre a segunda condenação do ex-presidente e Lula na Lava Jato. Em seu comentário na rádio CBN, o jornalista avalia que é uma pena “muito severa”, que reforça uma percepção de uma justiça mais dura e persecutória em relação ao ex-presidente.

“São penas severas sem provas cabais de propriedade do sítio e do aparatamento”, apontou o jornalista. “Ao meu ver estão carregando nas tintas. Acho que é uma condenação controversa porque o Lula mais uma vez foi acusado se ser proprietário do sítio pelo Ministério Público, mas ele foi condenado por benfeitorias numa propriedade que ele frequentava”, destacou o jornalista.

Para ele, “é uma pena muito severa que reforça uma percepção de uma Justiça mais dura e persecutória em relação ao Lula”.

“Estão carregando nas tintas. Acho que é uma condenação controversa porque o Lula mais uma vez foi acusado de ser proprietário do sítio pelo Ministério Público, mas ele foi condenado por benfeitorias numa propriedade que ele frequentava”, destacou o jornalista Kennedy Alencar

Juíza Gabriela Hadrdt condena Lula a 12 anos e 11 meses de prisão por Sítio de Atibaia –

Do Brasil 247 – A juíza federal Gabriela Hardt, substituta de Sérgio Moro na Operação Lava Jato, condenou o ex-presidente Lula a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo sobre o sítio em Atibaia.

A acusação é de que Lula teria recebido R$ 1 milhão em propinas referentes às reformas do imóvel, que está em nome de Fernando Bittar, filho do amigo de Lula e ex-prefeito de Campinas, Jacó Bittar. Segundo a sentença, as obras foram custeadas pelas empreiteiras OAS, Odebrecht e Schahin.

Uma perícia realizada no sistema de pagamentos de propina da Odebrecht e apresentada pela defesa ao ex-juiz Sérgio Moro, no entanto, colocou por terra a acusação de que a empreiteira teria destinado qualquer soma a Lula para a reforma do sítio. O documento afirma que “não foram encontrados no material examinado documentos ou lançamentos que possam estar relacionados com o objeto da presente ação penal”.

Um texto publicado em dezembro pela defesa do ex-presidente detalhou seis pontos que desmascaram a farsa do processo, com base no qual o Ministério Público Federal, em suas alegações finais, pediu a condenação do petista e argumentou que o sítio pertence a ele. A defesa de Lula sustenta que o MPF desconsiderou as provas apresentadas pela defesa.

Além de Lula, executivos da OAS e da Odebrecht foram condenados na mesma sentença sobre o sítio. Léo Pinheiro, da OAS, pegou 1 ano e 7 meses. Marcelo Odebrecht foi condenado a 5 anos e 4 meses. O pai de Marcelo, Emílio Odebrecht, foi condenado a 3 anos e 3 meses.

Confira aqui a íntegra da sentença.

Foto: Brasil 247

ANOTE:

Fonte: https://www.brasil247.com/pt/247/poder/383013/Ju%C3%ADza-Gabriela-Hardt-condena-Lula-a-12-anos-e-11-meses-por-s%C3%ADtio-de-Atibaia.htm

Deixe uma resposta