É importante que os eleitores se atentem às campanhas eleitorais sob um enfoque específico e muito importante para uma boa tomada de decisão: a postura dos seus candidatos durante a campanha eleitoral.

Eles apresentam-se de uma forma positiva? E fazem suas propagandas eleitorais de forma propositiva?

Destaco que cabe aos pretendentes aos mandatos eletivos em disputa neste 2018 demonstrarem uma conduta positiva no sentido de destacar suas ideias, suas qualidades e os motivos pelos quais vale a pena você conferir o seu valioso direito ao voto a eles. Isso fica ainda mais evidente quando, ao observar as plataformas de alguns candidatos, seja possível perceber apenas ataques ou críticas a oponentes de disputa ou mesmo a governos atuais ou passados.

Além disso, evidentemente, todos aqueles que almejam um cargo público por meio de eleição devem ser bastante propositivos em suas propagandas eleitorais e demais atos de campanha. É através de uma boa exposição de suas plataformas de atuação, de seus planos futuros e da “cara” que sua gestão/mandato terão é que os eleitores poderão fazer a melhor escolha possível.

Mas, então, estaria eu dizendo que não cabem as críticas a terceiros em plena campanha? Negativo!

Sempre que as críticas estejam em um contexto de justificação do por quê se é melhor opção que os concorrentes ou do motivo pelo qual se pretende mudar a gestão pública, há o intuito positivo e propositivo sendo posto em prática. É processo natural haver uma maior exposição de pessoas no exercício de funções públicas e, consequentemente, uma maior sindicância de seus respectivos atos.

Por isso, é importante ter a consciência de que, votando em candidatos que tenham ideais firmadas e propostas ajustadas, aumenta-se consideravelmente a possibilidade de que seu voto seja bem aproveitado. E, portanto, ao contrário disso, é imperioso não votar em candidatos que utilizem exageradamente o discurso ou a propaganda negativa ou ofensiva a terceiros, sem que isso represente a construção de uma ideia diversa de políticas públicas. Apostar em candidatos que despejem ofensas para todos os lados é jogar seu sagrado direito ao voto na lata do lixo.

Vamos fazer a diferença nas Eleições de 2018!

 

Ângelo Soares Castilhos é Especialista em Direito Constitucional pela Fundação Escola Superior do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul (FMP) e em Direito Processual Civil pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI). Analista Judiciário – Área Judiciária do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS). Chefe da Seção de Estudos Eleitorais da Escola Judiciária Eleitoral do Rio Grande do Sul (EJERS). Membro da Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (ABRADEP) e do Instituto Gaúcho de Direito Eleitoral. E-mail: angelocastilhos@yahoo.com.br.

Fonte: Linked In

Campanhas eleitorais (pro)positivas

Deixe uma resposta