O diretor do IFPR – Campus Colombo – Ciro Bachtold , não está permitindo que pais e alunos da instituição emitam suas opiniões sobre os governos de Beti Pavin Michel Temer , na página do Instituto no Facebook, e segundo consta , também na página da associação dos pais , na mesma rede. Ciro pede para que não falem contra essas duas gestões alegando que seria uma infâmia denegrir a imagem dos desses chefes do poder executivo.

A questão é de censura mesmo , uma vez que o atual diretor – filiado ao PSDB – se julga no direito de proibir a liberdade de expressão de quem pensa contrário a sua linha de raciocinio . Na sua argumentação ele alega que foi a tucana Beti Pavin (PSDB) que conquistou para Colombo a vinda do IFPR , e não foi , foi Jota Camargo , quando o governo petista ainda não tinha sofrido o golpe institucional de 2016 . Beti Pavin providenciou e viabilizou o funcionamento do mesmo , ver link abaixo , uma  vez que Jota Condenado Camargo não chegou a providenciar o terreno para a tempo hábil o IFPR ser colocado em funcionamento , mas dai proibir ou censurar pais e alunos de criticarem politicos é um atentado contra a livre manifestação , se bem que com Temer e seus generais de pijama e ministras do STF adestradas não se pode esperar muita coisa.

IFPR em Colombo , uma vitória do vereador Waldirlei Bueno Fonte: Blog do Wilson Vieira.

“Ciro como diretor diz que tem o dever de proteger o Campus, que não se pode falar mal da Beti Pavin e nem do Temer” Eis tudo. Golpe é golpe e pronto!

 

Deixe uma resposta