No dia 24 de março de 1882, o cientista Robert Koch anunciou a causa da tuberculose – o bacilo TB – iniciando-se, assim, o processo de diagnóstico e cura da doença. Por causa disso, no centenário dessa descoberta, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a União Internacional Contra Tuberculose e Doenças Pulmonares decidiram criar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. O objetivo da data é alertar a população quanto à doença e erradicá-la completamente.

A tuberculose é transmitida de pessoa para pessoa, por meio de bactérias que são expelidas no ar quando um indivíduo contaminado tosse, fala, espirra ou cospe. A infecção se inicia quando o bacilo atinge os alvéolos pulmonares, podendo se disseminar para outras áreas do corpo por meio da corrente sanguínea.

Normalmente, o sistema imunológico consegue conter a multiplicação das bactérias, contendo a infecção. Entretanto, quando o bacilo da tuberculose supera as defesas imunológicas e começa a se multiplicar, a doença é instalada, podendo ser logo depois da infecção ou anos depois. Segundo a OMS, cerca de 10% dos infectados que possuírem sistema imunológico normal desenvolverão a doença durante a vida. Desses 10%, metade vai contrairá a doença nos dois primeiros anos e a outra metade, apenas mais tarde. Pessoas infectadas com o vírus HIV ou que forem diagnosticados com alguma outra doença que deprima o sistema imunológico tem mais chances de contrair a doença.

Tosse seca ou com excreção – podendo evoluir pra tosse com pus ou sangue, cansaço, febre no período da tarde, sudorese noturna, emagrecimento e gânglios no pescoço são alguns dos sintomas da tuberculose. Apesar de ser uma doença grave e mortal, o tratamento correto e o acompanhamento médico adequado garantem a cura do paciente.

A doença pode ser evitada por meio da vacina Bacillus Calmette-Guérin (BCG), uma das primeiras vacinas a serem aplicadas em um recém-nascido, que é ofertada gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Conhecida por deixar uma pequena cicatriz no braço, a BCG previne tanto contra a tuberculose miliar – forma mais grave da doença, que pode atingir outros órgãos além do pulmão – quanto contra a meningite tuberculosa.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a cada ano, no Brasil, são notificados 70 mil casos de tuberculose e cerca de 4,5 mil mortes em decorrência da doença. Globalmente, são 10 milhões de casos notificados, gerando mais de um milhão de mortes por ano. Dessa forma, é necessário que a população tenha consciência da periculosidade da doença, se previna e procure acompanhamento médico ao perceber os primeiros sintomas.

Saiba mais sobre a tuberculose assistindo à um vídeo, clicando AQUI.

Fonte: FENAM, com informações do Ministério da Saúde e da OMS

Fonte: Fenam – http://www.fenam.org.br/site/

Deixe uma resposta