O entrevistado desta segunda-feira (5) é o Dr Wagner Sabino , médico da rede pública de Colombo e de Curitiba . Sua atuação a frente dos movimentos que lutam por uma saúde de mais qualidade vem pautando sua carreira desde que se formou . Dr Sabino tem 37 anos , é casado e pai de dois filhos . Em Colombo seu histórico é bem conhecido , em 2017 liderou a paralisação categoria por dois meses , sempre com foco para os problemas de gestão que o setor enfrenta , em recentes conversas com a população , Doutor Wagner tem colocado seu nome a disposição para pleitear uma cadeira na Câmara dos Deputados este ano , confira a entrevista:

Quem é Wagner Sabino?

Um médico , pós-graduado em gestão de politicas publicas , atuante em diferentes áreas. Diretor do Sindicato dos Médicos do Estado do Paraná e membro da Federação Nacional dos Médicos ,  conselheiro consultivo da Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais e Universitários do Brasil. Uma das 1000 cabeças pensantes do pais na área .  Trabalha exclusivamente no serviço público de saúde , e luta incansavelmente por uma saúde pública de qualidade.

Como o DR avalia o ano de 2017 para a saúde pública de Colombo?

A saúde de Colombo, não é diferente da maioria dos municípios do Estado, porém não justifica a falta de ações e planejamento da atual gestão. Como profissional da área, 2017 foi um ano muito difícil de executar nosso trabalho, mas graças ao nosso bom Deus e nossos colegas de profissão, superamos as dificuldades.

A greve dos médicos atingiu os objetivos da classe?

Se pararmos para refletir, sim, pois conseguimos que a atual gestão reavaliasse em alguns pontos sua prática da política para a área. Conseguimos melhorias na valorização profissional, o estancamento nas demissões dos servidores, bem com sua recomposição, mesmo que parcial do quadro de médicos. Reforço que ainda com essas ações da atual gestão, estamos muito distante dos direitos garantidos na Constituição Federal.

Em contato com a população como o Dr viu muitos problemas enfrentados pelos usuários dos SISTEMA aqui ? Houve apoio a greve?

Sim, principalmente o contribuinte que necessita dos serviços da saúde de Colombo, nos apoiou e ajudou, por entender que as reivindicações buscavam a melhoria do sistema. Também percebeu que não era uma paralisação política ou classista e sim, a busca da melhoria da estrutura oferecida para nossos munícipes.

Como o Dr sentiu a reação do povo neste periodo de greve

Através do meu trabalho, consigo perceber o quão deficiente é a estrutura, bem como, as politicas da saúde e, essa vivência e muita força, me condiciona para assumir esse desafio maior daqui para frente.

Como sua atuação política pode contribuir para que a saúde pública possa ter uma melhor atenção?

Sou uma pessoa que não concorda com a falta de investimentos e fiscalização no setor. Tenho certeza que posso contribuir na melhoria das politicas públicas do Estado. Esse é um dos motivos e, aproveito para, juntos com a sociedade organizada pedir que apoie essa ação .

Colombo não tem e nunca teve um representante na Câmara dos deputados , o DR não acha que deve haver um movimento para se  conquistar essa cadeira ?

O voto é universal , o único jeito é trabalharmos fortes em Colombo, assim como tem outros candidatos que buscam votos em nosso município, também iremos, de forma consciente buscar votos em outras regiões. Nosso nome está agregando várias lideranças do nosso município e, esse é o meio de fazer com que o colombense, tenha a opção de voto em um candidato da região.

O Dr tem procurado outros segmentos da sociedade pra fazer expor seus planos ?

Sim, montamos uma coordenação que nos proporciona interagir com todos os segmentos da sociedade. Um mandato precisa representar toda a sociedade, mesmo percebendo que a área da saúde precisa uma atenção emergencial.

Como o DR vê a atual situação do comando das pastas da saúde pública em Colombo, Paraná e Brasil?

É precária em todas as instâncias, caso contrário não existiria esse caos na saúde pública. Sei que posso contribuir na melhoria nessa área , e é um dos motivos que coloco meu nome como pré candidato à uma vaga na Câmara Federal.

Por que isso está tão exposto?

Os problemas e deficiências das políticas públicas é muito grande e, ainda acrescida da imagem negativa. Percebo que existe uma lacuna entre a função e ação do meio público com a sociedade e isso faz com que haja um distanciamento de setores da sociedade para com o Estado pela prática da política de barganha. Esse é uma cultura que precisamos mudar, será através de muito trabalho que conseguiremos estancar esse vicio.

Por certo teremos outros candidatos da Cidade, Não é necessário fazer um diminuir esse número?

O cerceamento de posições e participações na política, não condiz com o Estado Democrático em que vivemos. Cabe ao cidadão ter o discernimento na escolha do voto. Serei uma opção para os eleitores , se meu nome for aprovado na convenção do Partido ,  tenho conhecimento de causa, vontade e muita disposição para atuar como parlamentar e ajudar moralizar o meio político.

Como a classe médica vê seu projeto político?

Tenho participado de várias conversas e reuniões com o meio, estamos construindo um apoio e base consistente na área da saúde. Não só a classe médica como também com a  grande parte do servidor da área que está nessa caminhada. Precisamos avanços e aproveito a oportunidade , Elias, para reforçar nossa posição como pré- candidato pelo PPL , e que o nossa gente do Paraná não  se deixe levar pelas promessas de aventureiros, é momento de renovação no parlamento brasileiro, só assim existirá a moralização na política.

O Dr pretende dobrar com um candidatos de fora do município para alavancar a campanha e de quais regiões do PR?

Nós faremos alianças internas no PPL e com o povo, afinal ele é o motivo de estarmos debatendo a prática da boa política. Um possivel mandato meu será do povo paranaense, estarei atento e a disposição para todas as demandas, meu mandato será para defender os interesse de todo cidadão e fazer valer a nosso Constituição.

Os problemas e deficiência das políticas pública é muito grande e, ainda acrescida da imagem negativa. Percebo que existe uma lacuna entre a função e ação do meio público com a sociedade e isso faz com que haja um distanciamento de setores da sociedade para com o Estado pela prática da política de barganha. Esse é uma cultura que precisamos mudar, será através de muito trabalho que conseguiremos estancar esse vicio.

Dr Wagner Sabino foi um dos lideres da greve dos médicos em 2017
No movimento que pediu a siada de Ricardo Barros do Ministério da Saúde em 2017
Em reunião com lideranças de Guarapuava

Deixe uma resposta