A não realização da Festa da Uva deste ano , após o cancelamento do evento em 2017 por questões de ordem financeira e contenção de gastos com a vinda de artistas nacionais , só não ocorre nos moldes em que era realizada antes , e como é realizada hoje em Santa Felicidade , por um motivo: a inércia dos secretários de Agricultura e Abastecimento , Márcio Toniolo , do secretário de Indústria , Comércio e Meio Ambiente , Antonio Ricardo Milgioransa ( este têm experiência de várias festas desde da década de 80 , quando ainda era Técnico da Emater – Escritório de Colombo ) .

Rainha e princesas da última festa da Uva realizada no modelo tradicional

Quando o prefeita Beti Pavin decretou o cancelamento do evento em janeiro de 2017 , deixou claro que a prioridade naquele momento era evitar um rombo maior nas contas públicas do municipio , mas não proibiu nenhuma das duas pastas de organizarem neste ano de 2018 a Festa da Uva no modelo tradicional , até porque esse modelo é o mais viável e rentável , assim reabriria um espaço para geração de renda ao municipio , sem necessariamente precisar de muito investimento , a prefeitura entraria apenas com a logistica e o comando da Festa , em parceria com agricultores , empresário , comunidade e comerciantes . Também o investimento com atrações seria irrisório se comparado ao cachê de uma dupla sertaneja ,além de abrir espaço para artistas da cidade ( isso não existia no passado .

Esses secretários de primeiro escalão deveriam seguir o  exemplo do Diretor de Esportes , Paulo Cesar Cardoso , que com pouco recursos faz muito , sem isso , Colombo  sempre ficará  dependente de gente desse nivel , que não enxerga além da curva , só observa o óbvio e aquilo que dá retorno politico a curto prazo eleitoralmente , quem conhece bem Beti Pavin , sabe que ela até ficaria satisfeita com a ação , foi assim que a prefeita abriu  espaços na politica de Colombo para muita gente , que não precisa mais que uma viola para fazer um baile, ou de uma frase para fazer um livro …

Deixe uma resposta