O processo plebiscitário de separação do municipio de Colombo entre os anos de 1994 e 1995 , e que teve como lider o então “separatista de carteirinha” e o mais influente politico do Paraná na época , Deputado Anibal Kuri , presidente da Assembléia Legislativa do Paraná , que tinha neste negócio o interesse em formar currais eleitorais , e com isso favorecer politicos com a concessão de cartórios em  municipios recém-criados. ( em Colombo , no caso , seria o Municipio do Guaraituba  )

Aqui o fato só entrou  na agenda do separatista devido também aos interesses  politicos de um grupo de derrotados pelo time de Beti , Strapasson e Dalprá , e o ano era pré-eleitoral , sendo que então vice-prefeita , Beti Pavin , e era e foi imbativel , tanto que após passado a derrota da oposição no plebiscito seus opositores foram para o limbo da politica .

Com a casuistica separação , essa gente criaria uma perspectiva de tomar posse de metade de Colombo , a trás disso  viriam  uma nova prefeitura , nova Câmara de vereadores etc e tal…ou seja: mais um forma de sair de boa no jogo politiqueiro .

Neste processo todo , que acabou sendo derrotado nas urnas , após longa batalha juridica , vários radialistas da capital se envolveram a favor da separação para atender seus afilhados politicos e também beliscar uns votos no novo municipio , entre eles , Alborgueti ( O Cadeia) , Luiz Carlos Martins , Ricardo Chab , Carlos Simões e o então deputado federal pelo Paraná , eleito com o apoio de Collor de Mello , Ratão , o pai de Ratinho Junior ,que fez de tudo para que os separatistas ganhassem ,era pau todos os dias em seu programa , Colombo era execrada pelo latinha , dia sim e noutro também , não tinha refresco , até porque a prefeitura não lhe dava nada em verbas de publicidade .

Mas tem um fato que ninguém sabe nessa história toda . Passado o processo e com a manutenção de Colombo unificada – foi a única derrota de Anibal Kuri nessa vida de separador de terras alheias- , Ratinho chegou para o prefeito Edson Strapasson ( segundo ele me relatou ) e fez a seguinte proposta: “já que perdemos , vamos fazer um programa especial sobre tua administração , você me libera a verba e eu não ataco mais”

O prefeito me chamou ao seu gabinete e me disse: ” Elias , vamos ter que pagar esse “achaque” ai , ou dar um cala boca , ou não teremos sossego ”

No dia seguinte fiquei o dia todo com repórter José Diniz fazendo visitas e filmando obras e o trabalho da administração em toda a região do Guaraituba que era para ser o novo municipio .

Agora o filho é pré-candidato ao governo em 2018 com o apoio de vários agentes públicos de Colombo.

Espaço aberto ao contraditório

 

 

 

Deixe uma resposta