POEMINHO DO CONTRA

Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão…
Eu passarinho!

“Eles passarão, eu passarinho” é  a antítese humanista do grito de guerra de La Passionária, Dolores Ybarruri, a revolucionário espanhola que durante a sangrenta Guerra Civil que enlutou a Espanha dizia sobre o avanço dos fascistas: “Não Passarão!”

Mário Quintana

Chega de tanta mediocridade e imposição !

Não dá mais suportar uma Câmara de Vereadores que virou uma extensão da gestão e balcão de negócios da atual administração , e a votação e aprovação do PL 011/07 , de autoria do executivo , que trata da revisão tributária do municipio realizada na sessão da última terça-feira (27) , só veio confirmar a submissão de 16 vereadores , que não fazem outra coisa a não ser ficar de cócoras para os donos do poder e fazer tudo que a prefeita Beti Pavin lhes manda , sem ao minimo terem noção do que estão votando e aprovando , o que vale é o jogo do ‘ toma lá , dá cá ‘ . Isso tudo sem a menor preocupação com os anseios do eleitor , afinal o que importa na verdade é uma rua asfaltada , um carguinho para um amigo ou parente , uma boca de lobo , enfim … o nivel dessa gente é abaixo do aceitável para um parlamento municipal , são um bando de fufucas e nada mais.

O vereador Anderson Prego (PT) , o único que faz jus a esse titulo e aos votos que recebeu , bem que tentou abrir o debate sobre a importância em torno da necessidade de se discutir o PROJETO DE LEI , que estava sendo planejado pelo Executivo desde de dezembro de 2016 , e só agora  chegou ao legislativo , para ser votado em regime de urgência.

O edil pediu vistas do PL 011/07 na segunda-feira (26) nas reuniões conjuntas das Comissões de Constituição e Justiça e da Comissão de Economia , Finanças e Orçamentos , e o Regimento Interno da Casa lhe dá essa prerrogativa , mas ditatorialmente não teve seu pedido atendido , no plenário também foi derrotado , prevalecendo a vontade da manada oficial da prefeita e seus amigos.

Para o vereador se a Câmara  fosse composta em sua maioria por vereadores entendidos em Tributação , Legislação Tributária ,  Legislação maior , e que tivessem a capacidade em discernir o que estava sendo votado , tudo bem . Mas sem abrir uma consulta com quem entende do assunto  , com instituições e com vários setores  envolvidos , para ver aquilo que se poderia melhorar , no texto do PL , era preciso ser analisado.

Ao negar o pedido de vistas , a base alienada da prefeita , eliminou o debate , não concedeu a um vereador a oportunidade de aprofundar a análise de um projeto de lei . Aprovaram dizendo que tinha que ser sancionada antes de terminar o ano , e nada é mais importante para eles que os noventa dias de recesso , muita grana no bolso e uma viajem programada , e que se dane os ossos do oficio e os aquilo que interessa ao povo. O vereador postou em sua página no facebook seu descontentamento e sua opinião . confira abaixo:

Revisão tributária em Colombo

Ontem foi aprovado o Projeto de lei 011/2017, de autoria do executivo municipal, que reajusta a alíquota de impostos para diversos segmentos, além de taxar alguns serviços que antes não era cobrado o Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza – ISSQN.

No entanto, o projeto tramitou em regime de urgência, foi NEGADO o pedido de vistas feito pelo vereador Anderson Prego, desrespeitando assim o Regimento Interno da Câmara e ainda foi aprovado, mesmo apresentando uma série de dúvidas e brechas. 
Confira a análise do vereador Anderson Prego:

 

Deixe uma resposta