O Sindicato dos Médicos do Paraná (SIMEPAR) obteve decisão LIMINAR na Justiça PROIBINDO que a Prefeitura de Curitiba contrate Organização Social ou qualquer entidade terceirizada para colocar mão-de-obra substitutiva dos médicos nas UPAS (Unidades de Pronto Atendimento) ou em qualquer outra unidade de saúde administrada pela Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba (FEAES).
A Justiça entendeu que a atitude é ilegal e vem de encontro ao direito de greve dos médicos, prejudicando estes profissionais. Por isso proibiu a contratação de Organizações Sociais (ou outras entidades, seja qual for a natureza), contratação esta que era o objetivo do Prefeito Rafael Greca com a aprovação da lei da terceirização da saúde e da educação, semana passada, na Câmara de Vereadores.

Fonte: Simepar-PR

Em Colombo a greve dos médicos completa no próximo dia 13 de setembro três meses . O movimento está esperando uma decisão definitiva da Justiça , segundo um dos lideres , essa é hora de esperar o juiz ou a prefeita decidir e colocar todas as reivindicações no papel , e  não pode ser paralisada , pois essa é a segurança de que não haverá retrocessos sem ás deliberações do MPT ou da prefeitura.

Deixe uma resposta