Um morador de Quatro Barras está mobilizando uma medida para tirar os pontos de parada dos ônibus que fazem linha via BR 116 sentido Quatro Barras PR. Estes ônibus fazem parada nas imediações dos Bairros Vila Zumbi e Liberdade em Colombo PR. Este morador acredita que se tirarem os pontos de parada dessa região, assaltos em ônibus não ocorrerão mais.

Esta mobilização já em andamento, teve mais adesão depois da tragédia ocorrida no dia 22 de julho de 2017 em que um ônibus da Viação Castelo Branco foi assaltado nas Rodovia BR 116 nas imediações entre o Atuba e a Vila Zumbi onde o motorista foi baleado e morto no local.

Diante dessa situação os responsáveis pela administração do sistema metropolitano, a Comec fez uma reunião para definir estratégias para segurança do transporte público metropolitano para os passageiros, cobradores e motoristas. Juntamente com e demais órgãos representantes da categoria. Uma das reivindicações de segurança é o sistema de monitoramento a partir da campanha “Filmadora Já” em todos os ônibus que circulam por Curitiba e região metropolitana. Outra proposta é a criação de uma delegacia especializada em crimes no transporte. Direito já aprovado na lei nº 14.052, de 22 de junho de 2012 – publicada no dom de 26/06/2012 que dispõe sobre a instalação de câmeras de monitoramento nos bares, casas noturnas, casas de eventos, restaurantes dançantes e similares, com capacidade mínima acima de 100 (cem) pessoas, do município de Curitiba. Ou seja, se for tirar cada ponto de ônibus que for assaltado ou saqueado , não sobrará pontos de parada suficientes para atender população. Esta mobilização não tem embasamento, muito menos razão de vincular pois, prejudica somente a população que usa o transporte público.

Se a lei tivesse sido cumprida já teriam identificado os responsáveis pelas muitas tragédias que já ocorreram no transporte coletivo de Curitiba e região metropolitana.

Deborah Vasconcelos é idealizadora do grupo FISCAL DE BAIRROS – https://www.facebook.com/groups/fiscaldebairrocolombopr/

Deixe uma resposta