A partir desta quinta-feira (27) os médicos de Curitiba entram em greve ,de acordo com a decisão da categoria aprovada pelo sindicato dos médicos do Paraná. O efetivo a ser mantido mas unidade básicas de saúde e nas UPAS é de 60% . O Simepar informou que não houve acordo salarial com a Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba (Feaes), órgão da prefeitura municipal da capital. A reivindicação da classe de 5,5% de reajuste não foi aceita , a fundação ofereceu 3% e logo em seguida retirou a proposta.

Além das UPAS e UBS, também serão afetadas os serviços no Hospital do Idoso, Maternidade do Bairro Novo e no atendimento psico-social .

Com a greve dos médicos de Colombo indo para o seu 45o dia , e sem previsão de retorno dos profissionais ao trabalho, uma vez que a prefeitura não resolve atender as reivindicações da classe, e o secretário da saúde Dr Darci Braga já perdeu o controle e a noção da gravidade e precariedade da gestão municipal de saúde de Colombo, como também insiste em se manter no cargo , já sem condições de diálogo com os profissionais, os usuários do sistema público de Colombo que estão recorrendo ao UPA da Boa Vista , terão que achar uma solução alternativa para serem atendidos pelo SUS, a média diária de colombenses que são atendidos na UPA da região norte da capital é de 8 para cada 10 pacientes. Ou seja, 80% do total.

Postado por Luara Claucio

Deixe uma resposta