O Sindicato dos Médicos do Paraná – Simepar – informou que  os médicos de Colombo , que estão em greve há mais de 43 dias , foram contratados por intermédio de concurso para realizar doze horas de jornada semanal , e não 20 horas como alega a secretaria de saúde da prefeitura de Colombo.

Mesmo com o reajuste de 33% aprovado pelo novo Plano de Cargos e Salários , a categoria permanece na luta , já que a defasagem salarial é de 69% , e a luta da categoria vai além dessa reivindicação , os médicos querem que a população seja respeitada em seus direitos de ter acesso a um sistema público de saúde no minimo em condições de fazer procedimentos de qualidade , e não como o que vem ocorrendo hoje no municipio , onde falta desde de material de limpeza até unidades de saúde , isso sem falar que há carência de mais uma UPA e um Hospital de Referência.

Mesmo com o pedido de exonerações de alguns profissionais , a classe não irá ceder em seus pedidos , pois está claro que a prefeitura está apostando no esvaziamento do movimento para poder contratar médicos pelo sistema PSS , e depois terceirizar o PA do Alto Maracanã.

 

1 COMENTÁRIO

  1. O prefeito de Colombo está usando a mesma estratégia do governador do Distrito Federal(Rolemberg). Destruindo a saúde pública(falta de estrutura,medicamentos,profissionais,leitos,etc…). Tornando o ambiente de trabalho insustentável e culminando com o pedido de demissão em massa dos profissionais da saúde. Dessa forma ele fica livre para justificar a contratação de serviços terceirizados via OS por meios nada republicanos como já foi demonstrado em outras unidades da federação.

Deixe uma resposta