A prefeita Beti Pavin vai sustentando seu quarto e último mandato até agora com o programa de asfalto comunitário, além , das obras paralisadas e outras gambiarras que estão sendo retomadas e entregues pelo pior gestor estadual do Brasil, Beto Richa, o cara está inaugurando até pedra fundamental .Sem contar que a lenda da Roubovia da Uva deve ter seu epílogo em 2018 ,caso não haja muita gente pra botar a mão nesse jarro e encher os bolsos, dai será preciso esperar mais um capítulo da novela.

Mas , o que realmente está sendo o pilar de sustentação da gestão de negócios é : o meu asfalto, minha vida . Um serviço em que a prefeitura faz de conta que está sendo atuante e a população beneficiada com o jeito da Beti governar. Isso porque o povo não percebeu ou está fingindo que não vê, que a conta dessas obras em sua maior parte vai ser paga por ele , e a prefeita Beti Pavin fica com o lucro eleitoral do negócio , uma vez que uma pavimentação só sai do papel se houver 60% do pagamento por parte dos moradores. Assim mesmo há demora em muitos casos.

Nesse embalo eleitoreiro quem mais sai ganhando são os vereadores da base aliada , que em troca de um pedido atendido vão alimentando seu curral e negociando seus mandatos por um punhado de piche .

Sem o tal programa e com a falta de uma política pública para áreas básicas de uma gestão, como saúde e educação , a avaliação negativa da prefeita estaria nesse momento atingindo o patamar do presidente Michel Temer. Se os fabricantes de piche entrarem em falência amanhã, o governo de Beti Pavin não precisa mais nem ter apoio dos 14 picaretas que estão na Câmara Municipal curtindo uma de homens do povo e não sabem como vão sobreviver diante da falta de uma rua pavimentada , sem noção daquilo que realmente lhes cabe nesse processo : legislar e fiscalizar o executivo.

Postado por Luara Claucio

Deixe uma resposta