Com uma população estimada em mais de 234 mil habitantes segundo dados do IBGE de 2016 , o municipio de Colombo também é o oitavo colégio eleitoral do Paraná , com 132,271 eleitores divididos em duas zonas: a 49ª com 48,164 , e a 186ª com 84,197 mil eleitores , sendo atualmente o oitavo colégio eleitoral do Paraná . Esse quadro estatistico oferece ao municipio a capacidade de no minimo eleger um deputado federal e dois estaduais , de acordo com as normas eleitorais vigentes , que deverá ser alterada pela Reforma Politica que está sendo debatida pelo Congresso Nacional.

A condição de cidade dormitório , que muitos alegam ser uma barreira para melhor afinidade entre o eleitor colombense e os politicos do municipio , não é mais desculpa para a cidade deixar de  ter seus próprios representantes na Assembléia Legislativa e na Câmara Federal . Mesmo que a fuga inevitável de votos para os candidatos descompromissados com o municipio seja um fato conhecido , o municipio já provou que tem força eleitoral para eleger representantes legitimos e com vinculo junto ao eleitorado da Terra da Uva . Isso já ocorreu , com Edson Strapasson e Beti Pavin em 2010 , quando o municipio conquistou duas cadeiras no legislativo estadual. Infelizmente , o autofagismo de ambos deixou o eleitorado de Colombo sem representante ate hoje.

Sem nenhum deputado da cidade na ALEP , hoje Colombo depende desses deputados piranhas , representantes de alguns grupos e de gente esperta , que leva muita grana para dar seu apoio e comprarem pseudos-lideranças , para depois de eleitos sumirem , deixando a cidade totalmente desamparada e sem força politica junto aos governos estadual e federal , dependendo de uma verbinha aqui e outra ali , sem espaço na midia e nas tribunas das casas legislativas.

Para 2018 muitos politicos de Colombo já estão se preparando para lançarem suas candidaturas aos dois parlamentos . O grande problema é que tem gente que não fez votos nem para  ficar entre os 50 mais votados a vereança em 2016 , mas , embalados por uma ilusão ou feitiche , já se colocam com pré-candidatos , sem a minima chance de  viabilizar a candidatura , com certeza  irão virar moeda de troca para aqueles que vem de fora e disputam esses oportunistas e seus miseros votos , deixando aqueles candidatos da cidade , e que são viáveis politicamente nas mãos , prejudicando todo o municipio.

A realidade é cruel , hoje Colombo tem como representante na ALEP . o famigerado Luiz Claudio Romanelli (PSB) , um tremendo 171 da politica , mais conhecido dentro das salas da prefeitura em tempos idos , como Roubanelli .

Alguns vereadores também possuem seus deputados , que de concreto não fazem nada , um exemplo foi a votação do pacote de maldades de Beti Pavin , quando nenhum desses deputados teve o “culhão” de subir na Tribuna da ALEP e defender a população. Nem a greve dos médicos foi assunto colocado em pauta até agora , talvez com a matéria veiculada nesta sexta-feira (21) pela RPC , algum deles venha a tocar no assunto .

Mais do que nunca é preciso bater na tecla e forçar a barra , para que a população de Colombo analise bem em 2018 , e ao menos consigamos eleger um , só um deputado que tenha vinculos com os colombenses , a campanha está lançada:”VAMOS ELEGER UM DEPUTADO DE COLOMBO!”

Aliás essa é uma briga que o blogueiro Ivan de Colombo está comprando há tempos , só resta escolher alguém ético e de caráter , coisa rara na politica municipal .

Deixe uma resposta