A executiva do PSB nacional avisou aos deputados federais do partido que quem votasse a favor da reforma trabalhista seria expulso. Afinal, eles haviam decidido pelo voto contrário à reforma.

Deputados amigos do Planalto, para não serem expulsos do partido, já negociam sua ida para outras legendas, principalmente o DEM, não só pela intenção de votar a favor da reforma, mas, também, para engrossar um possível apoio à eleição de Rodrigo Maia para presidência da república.

Como na política só tem cobra criada, ontem, 18/07, Michel Temer chamou a deputada federal Tereza (PSB-MT), o deputado federal Danilo Fortes (PSB/CE) e o ministro das Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho, para um robusto café da manhã.

Entre brioches, bolos, pães e café, foi feito o convite para que os dissidentes fossem para o PMDB, com a promessa de mais espaço na sigla, entre outras coisas. Com esse gesto, Temer tenta esvaziar a migração desses e outros descontentes do PSB para o DEM, e livrar seu pescoço do impeachment.

Até aí nada de mais, se não fosse UM porém. Danilo Fortes iniciou a carreira política no PMDB cearense e saiu do partido justamente pela falta de espaço que tinha, terreno onde o Senador Eunicio Oliveira (PMDB-CE) é quase totalitário nesse quesito.

Se realmente Danilo Fortes aceitar o convite e voltar ao PMDB, quero saber como Temer irá administrar dois caciques querendo mandar na mesma aldeia?

Enfim as promessas estão rolando, mas só santo enriquece com elas.

Rita Gomes Todeschini é blogueira em Brasilia

Deixe uma resposta