Hoje completa mais de 192 dias do quarto mandato do governo da prefeita Beti Pavin , o último da sua carreira .

Nos primeiros cem dias de mandato o blog do Elias Glaucio fez uma checagem geral de todas as áreas e foi constatado que pouco ou nada havia sido cumprindo das promessas de campanha dessa nova etapa da gestão de continuidade.

Agora , com o mais da metade do ano completada , é melhor conferir o que a prefeita realizou

SAÚDE:

Essa sem dúvida é a área mais critica da administração , em 13 de junho a situação caótica do setor chegou ao seu ápice com a deflagração da greve dos médicos que já dura um mês. A situação da área no municipio é a pior em toda sua história , a precariedade da saúde atinge toda  a população.

Mesmo com algumas conquistas para a Santa Casa e uma nova ambulância vinda do governo estadual , o quadro é de total descaso , e a greve veio para colocar em xeque a gestão do atual secretário de saúde Dr Darci Braga .A classe tem recebido apoio da população e o escracho dos vereadores da base aliada , que só questionam e não fazem nada de concreto.

As reivindicações

As reivindicações dos médicos, formuladas desde o início do ano, a falta de medicamentos, falta de um hospital de referência capaz de atender a demanda , falta de água potável, consultórios sem ventilação, a falta de vagas para internação forçando os médicos a tratar os pacientes sem condições adequadas colocando os pacientes e o registro dos profissionais em risco, além de ter aumentado carga horária de trabalho, reduzido salários, anunciado que substituirá os médicos hoje contratados por novos que receberão salários inferiores, trocando os médicos de local de trabalho sem qualquer aviso ou justificativa plausível, além de outras medidas que contrariam as expectativas destes profissionais da saúde.

Os profissionais da saúde estão sendo prejudicados com a falta do descumprimento quase que total do funcionamento dos Postos de Saúde, além dos problemas financeiros, sendo que já houve diversas tentativas de negociação por parte do Sindicato dos Médicos do Paraná (SIMEPAR) para que houvesse regularização, no entanto, nenhuma medida foi proposta.

AS PROMESSAS DE CAMPANHA:

Pleitear junto aos governos Estadual e Federal a construção de um Hospital Geral – na Região Norte, atendendo as diversas especialidades médicas, com implantação de UTI para atendimento de pacientes de risco.Além da implantação do PAI ( Existe uma promessa de Michele Caputo , secretário de Estado da Saúde dando conta de que a verba está a disposição da Prefeitura ,basta a administração arrumar o local para a construção. Até agora nada)

– Pronto Atendimento Infantil, bem como, do Centro Especializado em Atendimento do Idoso; • Apoio para a Santa Casa; ( Até agora nada disso saiu do papel)

Construção e ampliação dos postos existentes, melhoramento no atendimento ao munícipe através de treinamento do pessoal de atendimento, novos equipamentos e o aumento do número de médicos; ( A UPA DO OSASCO AINDA ESTÁ PARA SER ENTREGUE , BEM COMO A UBS . A prefeitura diminuiu o quadro de médicos para cortar gastos , e fez um corte drástico no Programa de Saúde Bucal)

Ampliar e melhorar a política de distribuição de medicamentos, através de programas de saúde; ( Falta medicamentos na Farmácia da Prefeitura , uma nova unidade foi inaugurada na Vila Liberdade)

Desenvolver políticas de atenção básica e preventiva de saúde junto à população; ( A Greve mostra que nada aconteceu) 

Ampliar a abrangência das Equipes de Saúde da Família; (A greve mostra que nada houve de melhora , pelo contrário..)

Criar a rede de atenção e proteção ao portador de dependência química, em parceria com os Governos Estadual e Federal, e com a sociedade civil; ( Nada de concreto atá agora)

Ampliar e melhorar a abrangência do transporte em saúde, aos grupos de pacientes com enfermidades crônicas; –  Implantação do programa gestação saudável; ( Foi entregue a CLINICA DOS DOENTES RENAIS  )

Implantação da Estratégia Saúde da Família nas áreas rurais do município;( Nada)  Estruturação do serviço de urgência e emergência do município com implantação do serviço médico de urgência SAMU integrado ao sistema metropolitano, garantindo assim acesso aos hospitais de alta complexidade para os casos de urgência e emergência;  ( Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192, Micro Região Leste, foi entregue em novembro de 2016)  – ( Nas áreas rurais não há noticia da implantação do Programa Saúde da Familia , como consta no Plano de Governo)

Ampliar a cobertura populacional para atingir a população no Programa de Agentes Comunitário (PACS), permitindo diagnóstico aprimorado das condições de saúde da população de Colombo; (Nada aconteceu até agora))

Implantação do Programa Saúde em Casa, que permitirá o atendimento médico e de enfermagem a pacientes acamados e sem condições de se deslocarem até as Unidades Básicas de Saúde; ( Nada até agora aconteceu ).

A matéria tem por objetivo lembrar a população daquilo que foi prometido via Plano de Governo e checar as promessas da prefeita) .

Amanhã estaremos enfocando a Educação). A assessoria de imprensa da Prefeitura está com o espaço aberto para contestar ás informações

*as citações em negrito são de responsabilidade do Site Colombo Atenta

 

Postado por Luara Claucio 

Deixe uma resposta