O vereador Edson Baggio (PTC) ex-assessor parlamentar de Waldirlei Bueno , o padrinho que deu a ele a chance de entrar na politica e fazer uma carreira durante mais de 10 anos , ainda não se deu conta do papel que lhe foi conferido por 832 eleitores na eleição de 2016 , fazendo com ele conquistasse a última cadeira para a atual legislatura .

Na véspera do pleito o vereador já não sabia se seria eleito ou não , nem com o apoio poderoso de Beti Pavin e de Waldirlei Bueno , seu desespero era de dar pena , seus telefonemas no fim da noite de sábado aos seus eleitores declarados eram dramáticos.

No domingo m dia da eleição , Baggio correu , correu e correu , conseguindo se eleger ao apagar das luzes. Um fato que já demonstra que sua capacidade politica é um tanto quanto mediocre e seu mandato se baseia em fazer um clichê do mandato de Oliveira da Ambulância , com uma diferença : Oliveira apesar de ser o simplório erra mais esperto , e sabia ser ridiculo .

O vereador agora secretário da mesa diretiva da Casa Legislativa faz questão de ser como é , sem ouvir ninguém que não seja seu ego e seu seu jeito clientelista de fazer politica. Não aprendeu nada do que viu e ouviu em mais de 10 anos de Câmara .

Na terça-feira (11) atingiu o auge de sua mediocridade , ao insinuar que o vereador Anderson Prego teria acesso a informações privilegiadas sobre o tal Interdito Proibitório que sua turma de mesa está impondo para negar acesso aos servidores durante a votação dos PLs 007 e 008 . Nada mais sem noção por parte de um edil que serve aos caprichos de uma gestão falida e que tem acesso a tudo que quiser , pois vive como parasita agarrado nas saias da prefeita e seus amigos.

Ora , se um vereador não tem nem conhecimento  dos seus deveres e do conhecimento do papel de um legislador , nem sabe se comportar de forma respeitosa com outro vereador , deveria pedir desculpas aos seus eleitores e pedir para dar um passo atrás e recomeçar tudo novamente.

Como diria Ivete Sangalo: “Senta lá vereador”

Postado por Luara Claucio

Deixe uma resposta