Na tarde de sexta-feira (7) o Ministro da Saúde , Ricardo Barros , esteve mais vez em Colombo em menos de um ano , em setembro de 2016 veio para visitar a Santa Casa e dar um empurrãozinho na campanha de Beti Pavin para a reeleição .

Desta vez , Ricardo Barros e a prefeita Beti Pavin anunciaram a instalação de dez leitos para a unidade de UTI . Não citou o valor da verba destinada , e nem para quando os recursos serão liberados, como sempre.

A prefeita Beti Pavin enfatizou que essa é a segunda etapa para que o processo de reabertura do Hospital . Em 23 de fevereiro de 2013 quando assumiu , Beti afirmou que o mesmo estaria totalmente entregue para população até o final de 2014 com UTI e atendendo normalmente como era antes do fechamento em 2012 . Coisa que ainda não aconteceu , e já estamos em julho de 2017.

O ato foi mais uma tentativa de fazer Marqueting , já que todos sabem que para que instalação de uma unidade de UTI com dez leitos para cirurgias de média e lata complexidade terá que se gastar o seguinte:

“Você me pergunta quanto custa uma UTI? Eu respondo: Depende”, afirma o superintendente do HU de Londrina, o médico Francisco Eugênio Alves de Souza. 
A portaria do Ministério da Saúde que estabelece critérios de classificação entre as UTIs, estabelece, entre outras coisas, que as unidades são destinadas aos pacientes graves ou de risco e que devem dispor de assistência médica e de enfermagem ininterruptas, com equipamentos específicos próprios, recursos humanos especializados e que acesso a outras tecnologias destinadas a diagnósticos e terapêutica. 
A regulamentação ainda diz que todo hospital terciário, com capacidade instalada igual ou superior a 100 leitos, deve dispor de leitos de tratamento intensivo correspondente a no mínimo 6% dos leitos totais. 
Para cada 10 leitos é preciso uma equipe básica composta por um responsável técnico com título de especialista em medicina intensiva ou com habilitação em medicina intensiva pediátrica, um médico plantonista, um enfermeiro, fisioterapeuta, um auxiliar ou técnico de enfermagem para cada dois leitos, um enfermeiro coordenador, exclusivo da unidade e um funcionário com exclusividade responsável pelo serviço de limpeza. 
Além de cirurgião geral ou pediátrico, torácico, cardiovascular, neurocirugião e ortopedista, o hospital precisa ter laboratório de análises clínicas disponível 24 horas e uma lista de aparelhos na unidade.”Temos respiradores, por exemplo, que custam R$ 30 mil e existem aparelhos que devem estar custando R$ 120 mil. O primeiro tem funções mais simples, é de baixa durabilidade. Às vezes, um paciente com um trauma de crânio pode ficar em um respirador simples. Porém, se ele pegar uma pneumonia hospitalar, esse aparelho não resolve. Hoje, temos monitores cardíacos que nos dão o ritmo, a frequência arterial e o quanto está indo de oxigênio e a temperatura do paciente”, explica Souza. (Vida não tem preço ) Fonte: Folha de Londrina.

A REALIDADE NUA E CRUA DA SAÚDE DE COLOMBO

Na noite deste sábado (8) o Pronto Atendimento Alto Maracanã estava com apenas um médico para atender um municipio de mais de 230 mil habitantes , o movimento na unidade apesar de não estar muito grande por volta das 0h45 , assim mesmo era muita gente para um só profissional que encerra seu plantão no domingo pela manhã.

Na próxima terça-feira (11) a greve geral dos médicos de Colombo vai completar 27 dias , e a prefeita apostando sempre naquilo que mais acredita , ao tentar desfazer o movimento por via de meios judiciais , está colocando todo um municipio entregue ao desastre total . A UPA do Boa Vista estava novamente lotada com pacientes de Colombo .

“Tenho vergonha dessa gestão , além de não dialogar com os médicos abandona a população!” Afirmou um usuário . O movimento quer a afastamento do Secretário de Saúde , Darci Braga , pois não há mais dialogo com ele .

Enquanto tenta desviar o foco da crise com a vinda de ministros envolvidos em vários escândalos e financiado em suas campanhas por planos de saúde privada , a prefeita pensa estar agradando , mas como não tem mais apoio popular , é mais do mesmo de uma administração falida.

AS PROMESSAS DE CAMPANHA

Foto : Ivan de Colombo

Deixe uma resposta