Brasília está prestes a explodir. Nos últimos quatro dias estamos vivenciando uma tragicomédia bem fuleira diga-se de passagem.

Tudo começou na sexta-feira (30) quando o semideus ministro do STF Marco Aurélio de Melo, primo do Collor e o mais antigo ministro do STF, aceitou os argumentos da defesa de Lord Aécio Neves e não só devolveu o a ele cargo como também indeferiu o pedido de prisão feito pela PGR, justificando: “o senador Aécio tem uma carreira política elogiável e que mantê-lo afastado da cadeira frustraria a vontade popular” (até agora estou tentando entender qual vontade popular seria frustrada, mas enfim…).

Continuando, ainda na sexta-feira, dia em que o Congresso e o Judiciário só trabalham em causa própria, Rodrigo Maia leu a denúncia contra Temer encaminhada pela PGR, para DEZ, sim, para DEZ deputados.

Como se não bastasse essa aberração, ontem o ex ministro Geddel Vieira Lima, aquele do apartamento pomposo e um dos cinco amigos que Eduardo Cunha sempre cita, sob justificativa de obstrução da justiça. No melhor estilo Al Capone, estava torturando psicologicamente parentes, e, também, Eduardo Cunha e o doleiro Funaro, para que ambos sequer se atrevessem a fazer uma delação premiada.

Como a batata do Temer assou faz tempo, afinal quem mandou ele se cercar de políticos dinossauros que pensam, e sentem, ainda estar no século passado, a prisão de Geddel pode significar mais apuros pela frente, pois dizem as más línguas que vem aí outra denúncia contra ele, agora por obstrução da justiça.

Em quanto isso, no quartel general de sua força tarefa, encabeçada por Romero Jucá – que bem poderia ser o Britto pelas “obras de arte” mal feitas – anda minimizando a prisão de Geddel, alardeando o seguinte argumento: “essa prisão nada mais é do que uma forma de pressionar os deputados a votarem pela cassação de Temer”.

Isso pode até ter sentido, afinal só eles sabem o poder de explosão de Geddel, apesar de eu achar que não é lá essas coisas, afinal ali tem mais ego do que pessoa. Será que a cela a qual ele foi acomodado é grande o suficiente para Geddel e seu ego, ou terão que separar os dois?

Para terminar essa tragicomédia, segue a lista dos deputados (Divulgo nesta quarta-feira )e seus respectivos votos, caso Temer realmente caia nas graças de um pedido de impeachment.

Só resta saber se na hora do voto veremos de novo a bandeira do Brasil nas costas e a dedicação dos votos para as mães, esposas, netos, amantes, gatos, cachorros e papagaios.

Rita Gomes Todeschini é Blogueira e ativista politica – Direto de Brasilia 

Deixe uma resposta