Desde a última sexta estou tentando descobrir onde a indignação e combate à corrupção que havia há um ano se perdeu.

E por mais que eu pense, só chego a uma conclusão: mais uma vez aqueles que bateram panela, foram as passeatas contra corrupção Brasil a fora, usando suas camisas verdes e amarelas pedindo a moralização da política, não passaram de marionetes no jogo político.

Você que participou ativamente pode me xingar, jogar praga, ou mil e outras coisas, por não querer acreditar que não passou de um joguete, afinal não participar das manifestações dava margem para seus amigos e parentes te chamarem de esquerdista e de estar apoiando a ex presidente Dilma, então, não pegava bem…vamos participar, sem ao menos saber o que realmente se passava e qual intuito daquele circo todo.

Porque quero achar o elo?

Lembro que quando as gravações do ex-Senador Delcidio do Amaral se tornaram públicas, onde “tentava” convencer o Cerveró a deixar o país, deixando bem claro que ele era do PT, nem o Brasil nem o povo deixaram barato. Cobraram atitude do senado, culminando com sua cassação.

O senado fez desse ato um circo, com direito a atualização do andamento a cada minuto, tanto pela imprensa quanto pela TV Senado.

Até o desfecho final: A CASSAÇÃO.

Em maio deste ano, o país foi “surpreendido” com a gravação de um dos maiores empresários do país e do mundo, Joesley Batista, onde fez referência ao Senador Aécio Neves pedindo R$ 2 milhões, que SERIAM para pagar advogado.

Dinheiro este que foi entregue em espécie e sem declaração, o que já torna isso um ato ilícito.

Mais ilícito ainda é ver que um dos cabeças das movimentações pró impeachment é tão, ou mais, sujo que os outros.

Janot pediu sua prisão por obstrução à justiça e, até agora, o STF não julgou o pedido. Já o Conselho de Ética do Senado deu uma bofetada na cara de quem realmente quer o Brasil passado a limpo. Reuniram-se em uma sexta feira, longe de todo e qualquer holofote, sem informação full time e decidiram pelo arquivamento da cassação do “inocente” senador, com o entendimento de que tudo não passou de uma armadilha para sujar a honra do nobre colega senador.

Pera aí! Armadilha? Sujar a honra? Como assim? Não foi o Joesley quem procurou o Aécio, mas sim o inverso. O dinheiro seria para pagar advogado e não foi usado para isso. E tudo foi uma artimanha? Pera aí, que não sou trouxa.

Talvez o erro do Delcidio era ser filiado ao PT.

Agora você que foi às ruas, bateu panela, exigiu o fim da corrupção e a volta do Sarney, a intervenção militar, vai ler esse texto e achar que não está na hora de voltar às ruas e nem bater panela, pois o MBL não convocou. Sinto muito. A culpa é sua por ter votado no Aécio e por ter aceito papel de figurante nesse circo.

Rita Gomes Todeschini é blogueira  e também comanda o programa Politicar da Rádio Tucupi Web Rádio em Brasilia.

Deixe uma resposta