Sua namorada já te disse que você não é machista. Você nunca foi abusivo, nunca traiu, jamais pensou em agredir. Em casa, você não ajuda em todas as tarefas porque elas já são sua função natural, você divide. Hoje em dia ver um sovaco de mulher peludo já não é tão um bizarro quanto aquela vez que você viu e estava na sétima série (ou foi no ano passado?). Todo ano você compartilha um textão escrito por uma mina no Dia da Mulher. Edit.: você nem compartilha textão, você sabe até ficar quietinho quando não é sua vez de falar.

Você também ficou puto com o cara do BBB que ainda bem que foi expulso. Você ficou em choque com a história da menina que foi estuprada por mais de 30 caras. Quando está andando em uma rua escura e tem uma mulher desconhecida sozinha você até acelera o passo e ultrapassa para ela ficar mais calma e ver que você não representa perigo.

Uma vez você brigou e ameaçou a dar porrada no cara que chegou agarrando sua melhor amiga em uma festa.

Mas você ficou quieto quando soube que aquele seu brother está traindo a mina dele. Você respirou fundo, falou: ‘Eita, fulano’ e encheu o copo dele de cachacita para amansar a consciência.

Você relativizou a escrotice dele pensando que essa é a intimidade do casal. Quando ele justificou dizendo que ela é louca, você achou um pouco estranho, afinal, ela até que te tratava bem. E quando os dois estão juntos tudo parece correr tão harmônico, não é?

Aliás, vamos conversar sobre chamar as pessoas de loucas

Uma acusação dessas é algo bem séria, independente da identificação sexual, e merece atenção. Quando as mulheres são o foco disso em temas de relacionamentos, existem algumas possibilidades comuns:

  1. Louca pode significar que ela tem algum problema psicológico. Ou seja, precisa de ajuda profissional;
  2. O seu amigo está sendo abusivo e gosta de justificar as cagadas dele jogando a culpa no psicológico de uma mulher, que por questões sociais tem menos ‘credibilidade’ pela sociedade quando o assunto é integridade;
  3. Ela realmente ficou maluca por causa de algo que ele fez. Só que ele só contou a parte dele.

Então, cara, uma novidade: saber das escrotices do seu amigo e passar a mão na cabeça dele te rebaixa mais uma vez para o status de machista bosta. Não importa o quanto você já tenha subido na escadinha da desconstrução dos homens. Pagar de desconstruído e aceitar as escrotices dos seu amigão babaca com mulheres te faz correr na direção oposta da escada rolante. Uma hora você chega lá embaixo, de novo.

Um homem oprime. Um grupo de homens passando a mão na cabeça de um um sexista oprime horrores.

Sinto muito, você relativiza o machismo dos seus amigos. Você dá um pequeno esporro, enche o copo dele e se sente com a missão cumprida. Você ainda é um machista de merda.

Por Júlia Latorre do blog https://medium.com/fale-com-elas-e-sobre-elas


Deixe uma resposta