No dia 23 de maio de 2017 aconteceu um bárbaro crime que deixou os moradores de Colombo assustados. Uma mãe moradora do bairro Guarani foi morta depois de ter sua casa invadida, ter sido estuprada pelo “homem” que abusou também de suas filhas de 14 e 15 anos, e a outra filha de 4 anos presenciou tudo.

 

O caso, da menina Thaina que sumiu indo para casa e 3 dias depois apareceu morta e com provas que sofreu estupro, até hoje não foi resolvido. 

 

O mapa da violência 2015 apresenta dados alarmantes e o Brasil está em quinto colocado com maior índice de homicídios de mulheres dentre 83 países, o Paraná como 19° colocado dentre os Estados e o munícipio de Colombo entre os 100 munícipios que mais matam mulheres no Brasil dos municípios que possuem mais de 100 mil habitantes.

 

A cor das vítimas também é um recorte importante que foi realizado na mesma pesquisa provando que as mulheres negras são ainda mais vulneráveis. Entre 2003 e 2013, o número de homicídios de mulheres negras cresceu 54%, passando de 1.864 para 2.875. A título de comparação, os assassinatos de mulheres brancas caíram 9,8% no mesmo período. Em um ano, morreram assassinadas 66,7% mais mulheres negras do que brancas no Brasil.

 

O Estado do Paraná elaborou o “Plano Estadual de Políticas para as Mulheres do Estado do Paraná – 2014 – 2016” e estão pensando o próximo plano. O munícipio de Colombo precisa elaborar o seu Plano Municipal de Políticas para as Mulheres esse com planos de ações de programas que a prefeitura pode fazer para coibir diversas formas de discriminação sofrida pelas mulheres em casa, na rua, no trabalho, na espera publica no transporte ou seja na sociedade em geral.  

 

 

O disque 180 é um canal importante de denúncia administrado pela Secretaria de Política para Mulheres (SPM) do governo Federal recebe denúncias e encaminha para as autoridades locais darem os devidos encaminhamentos. Os casos mais atendidos pela central de atendimento são:  relatos de violência, cárcere privado, relatos de violência sexual e tráfico de pessoas, dentre outros.

 

Destacamos alguns avanços na política para as Mulheres em nível Federal e Estadual como:

 

  • A criação da Casa da Mulher Brasileira inaugurada dia 15 de junho de 2016 no Cabral,
  • A secretaria da Família e desenvolvimento do Estado do Paraná possui o Centro de Referência de Atendimento à Mulher – CRAM de Curitiba e Região metropolitana um espaço destinado a prestar acolhimento e atendimento humanizado às mulheres em situação de violência, proporcionando atendimento psicológico e social, orientação e encaminhamentos jurídicos necessários à superação da situação de violência, contribuindo para o fortalecimento da mulher.

 

Em Colombo o atendimento é realizado pela secretaria de assistência social com o primeiro atendimento nos CRAS e CREAS ou pela Unidade de Saúde dependendo do caso e não existe um departamento ou setor de políticas para as mulheres com pessoa designada para trabalhar estas políticas.

 

 

Precisamos combater a raiz do problema que se chama machismo!

 

O machismo é a ideia de que o homem é melhor do que a mulher e apresenta como método desta cultura a submissão da mulher perante o homem. Quando o machismo começa a ser expresso várias formas de violência vem com ele. A mulher e o Homem têm sim diferenças biológicas, porém precisamos de igualdade de direitos.  

 

 

“Já viram um homem sair na rua e ser assediado a ponto de ter medo de ser estuprado?

Esta cultura machista de que o corpo da mulher é um objeto de desejo para desconhecidos que passam na rua, precisa mudar. Queremos ser respeitadas! 

Quantas Thainás, Marias, Vigílias, precisam ainda ser mortas para começarmos a pensar e a cobrar um plano de políticas para as mulheres em nosso munícipio?”

 

Marici Seles – Conselheira de Políticas para as Mulheres de Colombo.

 

 

Contatos úteis:

Central de Atendimento à Mulher
Ligue 180

Centro de Referência de Atendimento da Mulher – CRAM
(41) 3338 -1832 e (41) 3323-5314

Secretaria da Família e Desenvolvimento Social – SEDS
(41) 3210-2456 (41) 3210-2580

Delegacia da Mulher de Curitiba
(41) 3219-8600

Disque Direitos Humanos
100

Polícia Militar
190

Polícia Civil
197

Instituto Médico Legal – IML
(41) 3321-8100

Juizado da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher
(41) 3010 -7034

NUPIGE
(41) 3250-4894

 

Deixe uma resposta